Este trabalho restabelece uma estrutura teórica de projeto participativo originado no final dos anos 60 e início dos anos 70, como parte de um movimento direcionado a uma metodologia mais explícita de projeto e busca uma resposta para as razões do seu fracasso para a obtenção de um envolvimento maior dos profissionais das áreas de arquitetura e desenhourbano. A questão da participação do usuário nos processos projetuais arquitetônicos e urbanísticos está tendo uma renovada atenção após a relativa rejeição dos últimos 20 anos. Este fato deve-se, em grande parte, a avanços significativos em tecnologias da informação emergentes, particularmente multimídia, realidade virtual e tecnologias ligadas à Internet. Assim, este trabalho pretende demonstrar dois desenvolvimentos significativos na aplicação da tecnologia da informação nos quais os autores estão envolvidos: uma interface sensível e interativa, completamente imersiva e representações realísticas de realidade virtual de edifícios eáreas urbanas. um ambiente de modelagem de Realidade Virtual, intuitivo e para múltiplas plataformas, permitindo a evolução colaborativa de um projeto a partir de um mundo virtual. O impacto destes desenvolvimentos de TI é demonstrado a partir da realização de um projeto de uma estrutura de lazer para uma comunidade de usuários com deficiências físicas.

This paper re-establishes the theoretical framework for participatory design evolved in the late sixties and early seventies as part of the movement towards a more explicit design methodology and attempts an explanation of why the concept failed to gain commitment from the architectural and urban design professionals. The issue of user participation in the processes of building and urban design is enjoying renewed attention following its relative neglect over the last 20 years due, in large measure, to significant advances in emerging information technologies, particularly multimedia, virtual reality and internet technologies.

This paper then gives an account of two significant and relevant developments in the evolution of the application of information technologies with which the authors have been engaged. These are: a responsive and interactive interface to wholly immersive and realistic virtual reality representations of proposed buildings and urban neighbourhoods. an intuitive and platform-independent VR modelling environment allowing collaborative evolution of the scheme from within the virtual world.

The efficacy of these IT developments is tested in the context of a design exercise in which three designers, from distributed locations and using different computer platforms, collaboratively design an Information Centre from within the virtual world.